Como é o vosso Paraíso? O meu tem forma de Biblioteca.
OS MEUS LIVROS: |Distúrbio| |Antologias|

31
Mai 11
publicado por paraisobiblioteca, às 09:00link do post | Comentar

Tânia Souza é versátil como poucos escritores conseguem ser (eu, por exemplo, na poesia sou uma nódoa negra). E talentosa! É uma entrevista que vale a pena ler.

 

 

P.B: Poesia, crónicas ou contos? O que lhe dá mais prazer em escrever?

 

T.S: Eu costumo dizer que escrevo para poder respirar e é verdade. Sou apaixonada por literatura em quase todos os seus gêneros. No entanto, na hora da escrita, não consigo escolher o que gosto mais: contos ou poesias. Depende do momento, da inspiração, da ideia que quero trabalhar, do efeito que desejo causar. Com os contos, aprecio ir construindo a atmosfera, lapidando, deixar algo apenas como sugestão aqui, revelar algo ali, rever, reescrever, enfim, vivenciar esse trabalho narrativo que exige atenção e pode até ser cansativo, mas ao mesmo tempo me faz muito bem. Com a poesia, gosto de brincar com os sons, inventar palavras, captar sentimentos, momentos ou mesmo paisagens nos versos. Independente da forma, haikais, sonetos ou outras formas livres, eu adoro poesia. Quanto a escrever crônicas, apesar de gostar muito, sinto que me falta facilidade em registar o quotidiano, o momento e ainda deixar o texto interessante, poucas vezes consigo. Talvez algum dia eu me defina “oficialmente” como poeta ou contista, mas por enquanto, não sinto essa necessidade, escrever é um ofício que aprendo e me deixa muito feliz.

 

P.B: O seu conto "Demónios da Escuridão" foi um dos seleccionados para integrar a antologia Cursed City da Editora Estronho. Para escrever literatura fantástica é preciso mergulhar numa cidade amaldiçoada?

 

T.S: Uma cidade amaldiçoada é um cenário ideal para o terror. O fantástico teria em Cursed City a sua vertente mais sombria e assustadora. Com o desafio de escrever em um cenário e até com alguns personagens pré-estabelecidos, mas sem perder a originalidade e deixando livre a imaginação. Mas observando a essência do fantástico, a resposta é não, não é preciso mergulhar numa cidade amaldiçoada para escrever literatura fantástica. Entendo que a literatura fantástica acontece quando se interrompe o quotidiano, o comum ou o normal com algo inesperado, inexplicável. Então, todo espaço narrativo pode ser o cenário para o fantástico, desde que construído com verossimilhança.

 

P.B: A sua biblioteca tem que autores?

 

T.S: Nossa, são tantos livros que fica difícil lembrar, afinal, “o meu paraíso também tem forma de biblioteca” e está sempre se transformando. Mas vou citar alguns dos meus favoritos: Ítalo Calvino, Stephen King, Peter Straub, Edgar Alan Poe, H.P. Lovecraft, Umberto Eco, Gabriel Garcia Marquez, J.R.R. Tolkien, Raduan Nassar, Fernando Pessoa, Cesar Vallejo, Manoel de Barros... ih, acho melhor interromper, senão a lista só vai crescer e com certeza, sei que esqueci vários.

 

P.B: Quais os seus planos literários para o futuro?

 

T.S: Entre os principais, a publicação de um livro de poesias minimalistas, tais como poetrix, haikais e tercetos. Alguns destes relacionados ao universo do Pantanal, outros voltados para temas mais universais. É um projecto pelo qual tenho muito carinho. Terminar minha pesquisa informal sobre literatura fantástica e elaborar um projecto para o mestrado em Literatura Fantástica. Ah, retomar a escrita de um romance que está guardadinho desde o ano passado. Aliás, não somente ele, mas também outros textos que ficaram no caminho. Ler muito, estudar mais ainda e, claro, aperfeiçoar a minha escrita. Escrever é trabalho e pesquisa, mas é também um instante de magia e realização pessoal. Não quero perder esse fascínio pelas letras.

 

Desejo muito sucesso ao blog e novidades literárias sempre. Obrigada, Valentina, pela oportunidade de falar um pouco sobre literatura e sua importância para mim e, aos que lerem, espero que gostem.

 

 

 

 

_____________________________

Tânia Souza nasceu e mora em Mato Grossodo Sul. É professora, escreve poesias, contos, crônicas e, principalmente, literatura fantástica. Foi autora convidada no livro “À Sombra do Corvo - Poesias Sombrias”. Publicou nas coletâneas “501 poetrix para ler antes do amanhecer” e “Histórias Fantásticas Vol. 1”. Participa das antologias “Cursed City – onde as almas não têm valor” e “Olympus – Histórias da Mitologia”, também escreve nos blogs Descaminhos Poéticos, À LitFan e outros espaços virtuais.  Contato com a autora pelo e-mail tania.mara.ms@gmail.com e pelo Twitter @tania_souzza.

_____________________________________


Muito obrigada pelo espaço, fiquei honrada com o convite!

Que o site tenha uma vida longa e de muito sucesso!!!
Tânia Souza a 1 de Junho de 2011 às 16:21

Tânia Souza escreve muito, e bem!
Roger a 4 de Junho de 2011 às 20:43

Contacto: paraisobiblioteca@sapo.pt | Twitter: @ValentinaSFerr
Adquire o teu exemplar do Distúrbio
E tu? Já és fã? ;)
A Menina da Biblioteca também escreve aqui:
"Estórias do Arco-da-Velha"