Como é o vosso Paraíso? O meu tem forma de Biblioteca.
OS MEUS LIVROS: |Distúrbio| |Antologias|

09
Ago 11
publicado por paraisobiblioteca, às 09:00link do post | Comentar

É com enorme prazer que a Paraíso Biblioteca apresenta Alícia Azevedo numa entrevista que vale a pena ler.

 

 

P.B: Quem é a Alícia Azevedo, escritora?
A.A: Não sei bem como responder essa pergunta... acho que ainda sou um ser em desenvolvimento. Sabe, cada vez que eu me coloco diante de um desafio e consigo superá-lo, eu me surpreendo. Por isso ainda não sei até onde vai Alícia Azevedo, sei onde começa, só.

P.B: No seu coração mora somente a Literatura Fantástica?
A.A: Acho que depois que você descobre o fantástico o mundo perde a graça, por isso só tem lugar para ele no meu coração. Acho que a literatura fantástica tem o poder de libertar as pessoas, transportá-las. E isso é muito legal. Nada supera essa sensação, bom, quase nada... :) Um bom livro não é lido, é aquele que você vê enquanto lê e se coloca dentro dele. Quando se chega ao final desse bom livro você pergunta: acabou? Não acredito! Para mim só a literatura fantástica pode fazer isso.

P.B: Em que contexto fantástico você se sente mais à vontade?
A.A: Eu tenho testado vários subgêneros da literatura fantástica, mas ainda prefiro a fantasia. Arcos e flechas, espadas em punho e dragões... mas nada de elfos, odeio elfos. Gosto mais dos humanos, pela sua natureza imperfeita e complexa...

P.B: 2012 - fim do mundo ou um ano de grande inspiração literária?
A.A: Bem, como o fim do mundo só vai acontecer no final de 2012, espero que até lá tenhamos muitas novidades. Acho o fato de 2012 estar tão perto uma coisa espetacular e inspiradora, mas não para se preocupar em como vai acabar, se tiver que acabar ninguém pode fazer nada, mas para se preocupar com o depois. Por isso estou organizando a antologia 2013 - Ano Um. A ideia de tratar da sobrevivência num pós-apocalipse me fascina. Obrigatoriamente é uma temática de FC por se tratar do futuro, mas as possibilidades são infinitas e pouco limitadoras. Dali você pode sair para uma distopia cyberpunk estilo Mad Max a um pequeno vislumbre da alma humana de um sobrevivente. O tema é tão abrangente que não vejo limites no que pode ser escrito sobre isso. Adorei a ideia, a temática, a capa e espero que os outros gostem também e participem para poder fazermos um pós hecatombe o mais variado possível. Para quem não conhece o projeto 2013, dá uma passadinha no site: www.editoraornitorrinco.com.br/2013

____________________________

Minha biografia é pequena perto dos grande que andam por aí... Sou carioca, leonina e passional. Fugi do Rio por causa da violência e me escondi em Petrópolis, onde adoro viver com meus dois amores passionais e leoninos, meu marido e meu filho. Nossa vida é caótica e inspiradora. Sempre escrevi, mas passei muitos anos sem fazê-lo. Em 2008 eu voltei e escrevi meu primeiro romance de fantasia que ainda não foi publicado e resolvi que, enquanto esperava ia escrever contos. Foi o que tenho feito desde então, fora uns projetinhos meio doidos que ainda estão amadurecendo. Publiquei alguns, incluindo o FC do B 2008/2009 da Tarja, Poe 200 Anos da All Print, Moedas para o Barqueiro da Andross, entre outros. Depois fui convidada para participar do Sagas 2 - Estranho Oeste da Argonautas e do Sociedade das Sombras da Estronho; e agora, estou organizando o 2013 - Ano Um. Acho que é isso, com uns percalços pelo caminhos... :)
Meu blog: www.alluim.blogspot.com
twitter: @alicia_azevedo

______________________________________


Contacto: paraisobiblioteca@sapo.pt | Twitter: @ValentinaSFerr
Adquire o teu exemplar do Distúrbio
E tu? Já és fã? ;)
A Menina da Biblioteca também escreve aqui:
"Estórias do Arco-da-Velha"