Como é o vosso Paraíso? O meu tem forma de Biblioteca.
OS MEUS LIVROS: |Distúrbio| |Antologias|

11
Out 11
publicado por paraisobiblioteca, às 09:00link do post | Comentar

 

M.D.Amado deveria ter sido o primeiro entrevistado neste espaço. E porquê?, perguntam vocês. Porque foi das primeiras pessoas, fora o círculo familiar e de amizades, a apostar no meu trabalho e isso, meus amigos, vale a vida para quem está a começar.
Atenção: a seguinte entrevista foi feita sob ameaça (ahahah).
 
 
P.B: Como escritor e editor, tem que escrever e ler muito. O que lhe dá mais prazer?
M.D.A: O que mais dá mais prazer como escritor é quando começo a escrever sem ter um roteiro pré-determinado, e muitas vezes nenhuma ideia em mente. Simplesmente sentar e começar a teclar, deixando que as primeiras palavras surjam e aí sim, tentar criar um conto, poema ou crônica praticamente sem dar tempo para pensar. Apenas acompanhando as palavras que vão saindo e tentando ligar aquilo a um final que vai surgindo aos poucos. Claro que nem sempre fica bom, mas alguns dos textos que fiz dessa forma, foram textos que receberam muitos comentários e elogios.
Como editor, o maior prazer é ver a satisfação dos autores com o resultado da obra, como aconteceu no lançamento do Steampink, no Fantasticon 2011, quando algumas autoras me procuraram no final da sessão de autógrafos. Algumas com os olhinhos brilhando, empolgadas, contando como foi a experiência. Até mesmo autoras que já haviam participado de outros lançamentos, dizendo que nunca haviam dado tantos autógrafos. Isso realmente me deixa muito animado e satisfeito com o meu trabalho e faz valer a pena todas as horas gastas desde a criação da antologia até os momentos tensos, como não saber se vai dar tempo da gráfica entregar e outros detalhes que nos deixam maluco na fase final da produção de um livro.
P.B: É organizador de inúmeras antologias e participou em outras tantas. Diga-nos, Marcelo, qual a favorita, aquela pela qual você tem um carinho especial?
M.D.A: Ah, não dá para escolher apenas uma. Cada uma tem um significado diferente. Por exemplo, "Necrópole, histórias de fantasmas", publicada pela Editora Alaúde, é muito importante por dois motivos: foi minha primeira publicação em papel e de cara um desafio enorme, porque eu não tinha experiência nenhuma e estava ao lado de escritores que já trilhavam um caminho na literatura fantástica. Aprendi muito com Richard Diegues, Camila Fernandes, Gianpaolo Celli e Alexandre Heredia. Além do mais, até hoje, o conto "O Fotógrafo", publicado neste livro é um dos mais comentados, quando alguém vem comentar comigo sobre as antologias das quais eu parcipei.
Em uma outra fase, posso citar dois livros que foram lançados com um intervalo de uma semana, mas que também são muito importantes para mim. "O Grimoire dos Vampiros" foi meu primeiro prefácio publicado e também entrei como autor convidado. Esse livro me abriu várias outras portas. Já o outro livro, lançado uma semana antes, teve um prazer a mais. A Antologia "Poe 200 anos", organizada por Ademir Pascale trouxe-nos o desafio de escrever um conto baseado na obra do mestre Edgar Allan Poe e eu tive a felicidade de ser um dos autores selecionados. Tenho muito carinho por esse livro.
E dos livros que organizei fica ainda mais difícil selecionar um só, ou alguns. Mas para não esticar muito a conversa, vou citar a antologia "Insanas... elas matam!", que foi alvo de críticas descabidas antes mesmo de ter a seleção definida, pois alguns "entendidos" diziam que mulher não sabia escrever terror e que uma antologia só com mulheres não iria atrair o público masculino. Pois bem... "Insanas" até hoje é a campeã de vendas da editora. Mas os "entendidos" não aprendem e fizeram críticas parecidas também a "Steampink", com o agravante de acusar a mim, de estar promovendo uma antologia machista por causa do jogos de palavras. Bom... o que posso dizer é que graças a Deus, a maioria das pessoas não é formada por imbecís preconceituosos e "Steampink" também vai muito bem, obrigado.
P.B: Quais os projectos para 2012? Se puder revelar...
M.D.A: Para 2012 teremos o lançamento da série VII Demônios, Le Monde Bizarre e História Fantástica do Brasil, essas já com suas seleções finalizadas. Além disso, estamos já com as antologias "Brinquedos... eles matam!", "Sexo, livros e Rock & Roll" e "Subúrbia" em andamento, também com lançamento previsto para 2012. Na verdade já temos um cronograma de lançamentos fechado até abril de 2012 e temos outros títulos que não citei aqui, entre antologias abertas, fechadas e romances. Também está em pauta a publicação de três projetos em quadrinhos. Um deles será anunciado nos próximos dias.
P.B: O Estronho tem-lhe apresentado novos talentos que você acredita que possam crescer e igualar grandes nomes como o de Georgette Silen, Adriano Siqueira, Richard Diegues e por aí adiante?
M.D.A: Com certeza. Tem muita gente boa surgindo nessa nova leva de autores brasileiros e portugueses (inclusive uma pessoa aí, sabe? uma certa entrevistadora). Alguns foram publicados pela primeira vez no Estronho e outros já tiveram trabalhos por outras editoras. Fico com medo de esquecer alguém se fosse fazer uma lista mais completa, mas posso citar aqui Ghad Arddhu, Cirilo S. Lemos, Lemos Milani, Raphael Montes, Valentina Silva Ferreira (ops), José Manuel Rogaciano, Nikelen Witter, A. Z. Cordenonsi, Chico Pascoal, Davi M. Gonzales... Ih, tem mais e provavelmente esqueci alguém da minha lista de favoritos.
Tem muita gente boa surgindo e que precisava apenas de chance para aparecer. Claro que todos ainda estão se aprimorando e temos um longo caminho a percorrer. Inclusive a Editora Estronho segue em aprendizado constante. Erramos aqui, ali... mas vamos aprendendo e nos aperfeiçoando a cada nova antologia ou romance publicado. Mas continuamos com nosso principal objetivo sendo o de dar chance a novos autores, sem cobrar pela participação dos mesmos.
É isso... Muito obrigado por essa oportunidade, Valentina.
E um abraço horripilante a todos!

 

____________________________

M. D. Amado é mineiro de Belo Horizonte, MG. Analista de Sistemas por acidente, começou a escrever em 2004, inspirado nos contos de escritores nacionais de literatura fantástica. Fã de Ken Follett, Edgar Allan Poe, Ray Bradbury, Augusto dos Anjos, Lord Byron e outros, brinca com as palavras sem compromisso com gênero ou estilo literário.
É autor da insanidade literária "Empadas e Mortes", um e-book gratuito e do livro de contos "Aos Olhos da Morte". O autor participou de várias antologias nacionais de literatura fantástica. É também responsável pelo e-zine R.I.P. - Read in Peace e pelo site Estronho e Esquésito, fundado em 1996 e pela Editora Estronho. Além de entretenimento, o site disponibiliza acesso gratuito para divulgação de contos e obras dos autores nacionais.

______________________________________________


Sim... eu fui ameaçado sob tortura. Uma coisa horrível... fui algemado, chicoteado... errr... ops... não, não... isso é outra coisa.

Brincadeira... Confesso que eu enrolei essa mocinha e demorei muito pra responder, mas gosto muito de suas escritas. E além de ser excelente escritora, é muito bacana e fofa.

Obrigado por este espaço, Valetina.

Beijos horripilantes!
M. D. Amado a 11 de Outubro de 2011 às 13:52

Contacto: paraisobiblioteca@sapo.pt | Twitter: @ValentinaSFerr
Adquire o teu exemplar do Distúrbio
E tu? Já és fã? ;)
A Menina da Biblioteca também escreve aqui:
"Estórias do Arco-da-Velha"